domingo, 6 de junho de 2010

Segue a aventura...

Pois é...uma semana após, muita coisa já passou e nós sem darmos sinal.
Motivos?
Por onde começar...?
Chegámos a La paz na quinta passada. Cá encontrámos o nosso amigo Alexis e muito rapidamente fizémos mais amigos...Tom, Josú, Cristian, Lorena, Xani...em pouco tempo La Paz revelou-se uma cidade difícil de largar...de tal maneira, que ainda cá estou! :D

Nos primeiros dias tivémos a felicidade de apanhar a festa do Gran Poder, onde infelizmente o Alexis ficou sem carteira e a Inês sem a sua máquina fotográfica...Afinal é verdade a fama que tem esta cidade!! Felizmente que a máquina tinha um cartao com poucas fotos, e já tinha alguma idade...nevertheless, foi uma pena!

Tive oportunidade de ir dançar a uma "Peña" (discoteca local) onde os autóctones nos acolheram com grande meiguice, nao se cansando de nos tentar ensinar a dançar como eles, abanando a cabeça e os braços como uma galinha louca!! Parece estranho, mas cheguei à conclusäo que deve ser a única maneira de conseguir dançar as músicas bolivianas! Já no cortejo da festa do Gran Poder, que tivémos o prazer de apreciar no dia seguinte à nossa chegada, e que dura das 8h da manhä até as 24h, todos dançavam dentro deste estilo mas desta feita com trajes coloridos e máscaras!
No meio da confusäo ainda reencontrámos um casal françês que também esteve connosco em Säo Pedro de Atacama, o Greg e a Cecile.

La Paz revelou-se um ponto de encontro e toda a gente mais tarde ou mais cedo vem aqui parar e estranhamente tem dificuldade em sair!! Eu sou exemplo disso!
Depois das festas e de entretanto também eu ter ficado sem o meu cartäo de multibanco porque uma máquina o resolveu engolir (felizmente parece que o vou reaver na segunda!) resolvi dedicar-me à aventura!

Nada como começar a semana com a famosa estrada da morte de bicicleta!!
Ruta de la Muerte!!
Famosíssima por ser uma estrada de montanha que desce dos 4700m até aos 1200m por entre vegetaçao tropical, onde muitos acidentes aconteceram até que o governo finalmente resolveu pôr apenas um sentido na dita cuja, e mais tarde impedir o trânsito que lá circulava e fazer outra estrada... Posso dizer que mete medo sim sr...Eu ainda por cima apanhei tempo de chuva e neblina.

Éramos 4 (eu, o Josú (basco), e um casal de franceses, Marion e Romain), equipados a meio gás (nada como fazer as coisas na empresa mais barata, ver os outros de capacetes fechados e impermeável e nós de capacetezinho de bicicleta, e molhados até aos ossos!! Ninguém avisa!!!!!) mas sempre de boa disposiçäo!
Eu, como nao podia deixar de ser, era a última! Sempre antes do carro patrulha...chegaram-me a doer os dedos de tanta força a agarrar o guiador, mas fiz tudo, e vale realmente a pena! Nada como uma estrada de pedra, areia e precipício para nos mostrar que a vida vale demasiado!
Para complementar esta sensaçao, tínhamos um guia muito porreiro (de seu nome Elvis) que ia contando as histórias da estrada e referindo os locais onde no ano passado morreu uma pessoa em maio, um guia em agosto (altura em que parece que a terra tem sempre fome e precisa de carne!) por se ter desiquilibrado enquanto tirava uma foto ao grupo, e este ano, há cerca de dois meses uma Israelita...muitas cruzes pelo caminho e eu nem queria imaginar onde acabava o precipicio, pois a neblina impedia que se visse tudo...Felizmente que os travöes nunca falharam!! :D

Depois disto, e uma vez que a grupeta formada para esta aventura funcionou, fui convidada, juntamente com o Basco a juntarmo-nos ao casal françês e fazer um treck de 3 dias pela famosa Ilha do Sol no lago Titicaca! De referir que esta seria a terceira vez que tentaria lá ir, pois com a minha irmä já havia tentado 2 vezes...escusado será dizer que neste momento só posso concluir que só me estava destinado a mim fazer tal visita, pois finalmente os astros permitiram o meu acesso a esta fabulosa ilha localizada neste lago sagrado a cerca de 3800m de altura. O pico mais alto da ilha foi a cerca de 4100m.

No final de 3 dias passou a 4 e foi muito muito bom! As vistas eram fantásticas, as ruinas muito bonitas e a experiência do camping selvagem foi do melhor! E o pôr-do-sol e o amanhecer säo indescritíveis!
Cozinhámos sempre na bela da fogueira feita com o que se encontrava no local onde resolvíamos acampar...nem sempre foi fácil, mas comêmos sempre!! heheh
Ao todo conseguímos o milagre da multiplicaçao, e fizémos render 2 abacates, 0.5kg de kenua, 0.5kg de arros, 5 salsichas frescas, tomate, pepino, 20 päes, duas sopas instantâneas e 4 cebolas para os 4 dias para as 4 pessoas!! Eu näo achei nada mau!!

Agora, de volta ao aconchego do hostel em La Paz, continuei as visitas e hoje fui ver as ruinas Pré-Inkas de Tihuanaku. Valem a pena, mas näo estäo no seu melhor estado de conservaçao e säo muito caras!
Mais...ainda pensei em fazer parapente aqui na fabulosa e autêntica cidade de LA Paz, cuja configuraçao deve valer bem a pena ser vista de cima...mas o preço... :( ...é que isto aqui é barato...mas o meu orçamento começa a ficar reduzido e com tudo oque ainda falta ver neste pais tenho de ser comedida!

Já estäo cansados de ler?
Entäo vá, deixo para o próximo post a descriçao deste povo...que embora muito parecido ao peruano vale a pena uma pequena descriçäo!

5 comentários:

Vilhs disse...

Saudaaaaaaaaaaadeeeee!!!

Beijooo;*****

múrmurio disse...

beijo grande!!
divirtam-se por mim nos santos!!

Inês disse...

À terceira foi de vez e lá conseguiste conhecer a Ilha do Sol amiga! E que bem que ela me parece. Eu vou ter que adiá-la para outras nupcias....
Entretanto, para quem nao sabe, vim dar um saltinho à Argentina, mas em breve estarei de volta ;)

Luis disse...

A tua descrição é tão pormenorizada, que sinto-me a viajar ctg!! :D
Beijoka enorme

murmúrio disse...

Ainda bem Lois...é esse o objectivo!!!
Companheira Inês...o próximo post é o teu...estou à espera que comuniques ao mundo que é feito de ti!!!! :P